Mbappé e modelo francesa sofrem ataques racistas e transfóbicos

Artilheiro tem sido vítima de ataques preconceituosos por origem africana da família e suposta relação com modelo trans

Um desempenho fenomenal do atacante francês Kylian Mbappé, de 23 anos, tem despertado a ira de torcedores que usam o preconceito para atingi-lo. O jovem atacante tem sido alvo de racismo e transfobia nas redes sociais.

Bastante concentrado na competição, Mbappé tem evitado dar entrevista à imprensa – por isso, ele deve, inclusive, pagar uma multa à Fifa.

O atacante francês é o artilheiro da Copa do Mundo do Catar, com cinco gols. Com nove gols marcados em copas do mundo, ele ocupa a segunda posição entre os maiores goleadores da França em mundiais e, até aqui nesta competição,  ultrapassou Messi e Cristiano Ronaldo. Kylian Mbappé foi eleito o melhor jogador das partidas contra a Austrália e a Dinamarca.

Os ataques transfóbicos são direcionados à modelo transexual francesa Ines Rau, com quem, especula-se que, o craque teria um relacionamento.

A imprensa europeia invadiu a privacidade do atleta e o fotografou carregando a modelo nos braços num iate de luxo na Itália. Desde então, eles têm sido alvo de comentários preconceituosos.

Na “TyC Sports”, um grupo de torcedores da Argentina entoava versos discriminatórios a Mbappé tanto pelo possível relacionamento com a modelo, quanto pela origem africana da família do atacante.

A música preconceituosa afirma que os jogadores franceses são de Angola, fala que o atleta se relaciona com travesti e que a os avós são nigerianos e camaroneses.

Por Estado de Minas

O que você achou dessa notícia?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima
%d