Portugal e Espanha disponibilizam 400 profissionais para o Brasil

Em função da carência de mão-de-obra qualificada (técnicos e engenheiros) no Brasil, Portugal e Espanha estão colocando à disposição do Governo Brasileiro cerca de 400 profissionais altamente qualificados, além de universidades, associação e entidades sindicais, conforme disse ao MONITOR MERCANTIL o Presidente do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval (Sinaval), Ariovaldo Santana Rocha, para quem essa disponibilidade não significa que o país esteja preparado para recebê-los.

– Em algum momento isso vai chegar ao Governo Federal, que tomará essa decisão. Mas, ainda não tem nada definido. Espanhóis e portugueses, sem dúvida, pelo que passando em suas economias, onde o desemprego é grande (Espanha 25% e Portugal 14%). Então essa mão de obra qualificada talvez esteja prospectando lugares para sobreviver como aconteceu no Brasil há duas décadas, onde o pessoal foi para os EUA e outros países – disse, acrescentando que o Brasil está se preparando para recebê-los ou buscar no mercado interno.

O Presidente do Sinaval também elogiou a iniciativa do Governo do Estado do Rio de Janeiro de criar um polo de navipeças. Segundo ele, o Estado do Rio é o pai e a mãe da construção naval brasileira.

– Com essa iniciativa o Estado do Rio está saindo na frente, oferecendo essa possibilidade ao setor de navipeças dentro ou perto do construtor. Só tenho que agradecer e dizer que mais uma vez que o Rio saiu na frente – ressaltou, lembrando que o setor de navipeças também carência de mão-de-obra qualificada.

Ainda segundo ele, “para se ter noção, foram 10 anos de preparação na Coréia e 20 anos para chegar ao ponto que eles (coreanos) estão. Nós estamos há oito anos, com praticamente duas décadas desativadas. As áreas de óleo e gás e a cadeira de engenharia formavam poucos profissionais. Isso hoje está mudando. Há um número maior de alunos, acadêmicos para o segmento. Mas, há ainda uma carência de mão-de-obra. E não é só no setor de construção naval. A Marinha Mercante brasileira também tem uma deficiência. O governo federal está empenhado em dar o apoio para desenvolver o setor. Não só o apoio dá a vara e até o peixe. Nós consideramos isso positivo”.

Quanto à pressão que a Presidente da Petrobras, Graça Foster, juntamente com o Presidente da Transpetro, Sérgio Machado, estão fazendo junto ao Estaleiro Atlântico Sul (EAS) para que apresente um parceiro tecnológico de alto nível, o executivo Rocha disse não saber nada sobre o assunto. No entanto, frisou que o EAS está bem avançado em termos tecnológicos e estão negociando com alguns parceiros.

– Eles (EAS) vão ter um parceiro de alto nível. Tanto é que já tem um parceiro para a construção de sondas, que é a Monitova e a LGM. E estão se preparando para ter um parceiro para a construção de navios.

 

informação: Portal Marítimo

divulgamaragogipe

Learn More →

0 thoughts on “Portugal e Espanha disponibilizam 400 profissionais para o Brasil

  1. Lusinélia Costa 28 de maio de 2012 at 17:53

    Governantes e políticos, vejam que vergonha o nosso Brasil, cheio de homens e mulheres competentes, responsáveis, fora do mercado de trabalho e tendo de buscar mão de obra fora, ou, em outros países. Qualifiquem, capacitem nossos homens e mulheres daqui, que o que eles querem e trabalhar para terem vidas dignas.Mão de obra de fora, não!

    Responder
  2. Lusinélia Costa 28 de maio de 2012 at 17:53

    Governantes e políticos, vejam que vergonha o nosso Brasil, cheio de homens e mulheres competentes, responsáveis, fora do mercado de trabalho e tendo de buscar mão de obra fora, ou, em outros países. Qualifiquem, capacitem nossos homens e mulheres daqui, que o que eles querem e trabalhar para terem vidas dignas.Mão de obra de fora, não!

    Responder

O que você achou dessa notícia?

%d blogueiros gostam disto: