Paola Carosella circula por Salvador após formatura de mulheres quilombolas em Maragogipe

Quem se despediu da Bahia neste sábado (30) foi a chef Paola Carosella. Antes de provar o tempero da chef Leila Carrero, no Dona Mariquita, e de prestigiar o show de Gilberto Gil, na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, a argentina radicada em São Paulo participou da formatura de quatro grupos de mulheres quilombolas e de comunidades de religião de matriz africana, no Recôncavo Baiano, resultado do projeto Cozinha & Voz.

Criado em 2017 pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e pelo Ministério Público do Trabalho, o projeto tem apoio da Casa Poema e de Paola, capacitando profissionais como assistentes de cozinha e promovendo a empregabilidade de pessoas em situação de exclusão socioeconômica.
 
Na cerimônia no Terreiro Ylè Àlábásé, em Maragogipe, o ritual de formatura contou com recital de poesia, resultado das oficinas de poesia da Casa Poema, da atriz e escritora Elisa Lucinda e da diretora e atriz Geovana Pires. Uma das formandas recitou uma poesia para a chef, que ficou emocionada. “Obrigada, Cozinha & Voz, por tudo que você me dá! Eu que aprendo mais do que ninguém!”, escreveu.

O Cozinha&Voz se estrutura em dois componentes, o da Cozinha, que conta com a coordenação técnica de Paola Carosella, com o apoio de Neide Rigo e Fernanda Cunha, centrado nas aptidões básicas requeridas para o trabalho em uma cozinha de restaurante, e o da Voz, composto por oficinas em que os alunos desenvolvem e aperfeiçoam a inteligência emocional e a comunicação interpessoal para aprender a se comunicar em qualquer contexto profissional.

Por Alô Alô Bahia/Correio 24 Horas

divulgamaragogipe

Learn More →

O que você achou dessa notícia?

%d blogueiros gostam disto: