Jovem é demitida após ser estuprada por colega de trabalho e pela namorada dele; veja relato

A jovem contou que o farmacêutico começou a beijar enquanto a namorada dele o acariciava

Uma jovem, de 20 anos, foi demitida após ser estuprada pelo colega de trabalho dela, um farmacêutico, e também pela namorada dele, em Taguatinga, no Distrito Federal. O estupro, investigado pela Polícia Civil, aconteceu após a jovem aceitar um convite para sair com o colega de trabalho e a companheira dele.

De acordo com a mulher, ela trabalhava em uma farmácia, no Guará I, como operadora de caixa e conheceu o agressor no ambiente de trabalho. “Eu trabalhava nesse estabelecimento havia um mês e fui convidada por esse homem duas vezes para sair e beber em um bar, sempre na companhia da namorada dele”, contou ao Metrópoles.

O fato aconteceu na casa da dupla. A vítima bebia com os autores em um bar, segundo o site. No local, os três tomaram cerveja e duas doses de tequila. Ao final, a mulher contou ter ficado grogue, sonolenta e com a fala desconexa. “Quando me senti estranha, pedi para eles me levarem para casa, mas esse homem disse que passaria em casa primeiro e depois me deixaria”, relatou.

Na casa do agressor, a mulher lembra ter tido dificuldades para andar. Ela conta que precisou se escorar pelas paredes de um corredor até entrar em um dos três quartos e depois apagou. “Quando acordei estava sem a parte debaixo da minha roupa e aquele homem estava nu. Ainda percebi respingos de sangue sobre o lençol. Fiquei com tanto medo que segurei as lágrimas e fingi que tudo estava bem. Minha vontade era sair de lá o mais rápido possível”, desabafou.

A jovem contou que o farmacêutico começou a beijar enquanto a namorada dele o acariciava. “Ele ainda tentou passar a mão nas minhas costas mas me esquivei. A namorada dele percebeu e falou para que ele me deixasse em casa. Foi um desespero, pois queria chorar e tinha medo de ser novamente violentada”, lembrou.

A jovem procurou a polícia em 11 de agosto e passou por exames no Instituto Médico Legal (IML).
Segundo a jovem, as conversas com o homem eram sempre muito agradáveis e nunca teria sido mencionado o assunto relacionado a sexo a três, swing ou qualquer coisa do tipo. Ela chegou a convidar um amigo para ir ao bar junto com eles, mas o rapaz desistiu de última hora.

A jovem contou sobre o estupro para a família e foi aconselhada a relatar aos chefes que o farmacêutico havia abusado sexualmente dela. “Fui demitida do meu emprego por, supostamente, ‘ter mantido relações sexuais’ com um colega de trabalho. Eu fui estuprada. Sofri violência e estou sofrendo todas as consequências físicas e psicológicas decorrentes dessa violência”, disse.

Até o momento, ninguém foi preso. (BNews)

divulgamaragogipe

Learn More →

O que você achou dessa notícia?

%d blogueiros gostam disto: